10/12/2013

Pão de Ezequiel 4:9

Ingredientes
4 chávenas de água quente
3 c (sopa) de açucar mascavado ou amarelo
2 c (sopa) de fermento de padeiro
1 c (sopa) de sal
3 c (sopa) de óleo ou azeite
1 chávena de farinha de lentilhas amarelas
(obtém-se moendo no moinho de moer cereais)
1 chávena  de farinha de aveia
2 chávena de farinha  de milho
1 chávena de farinha de cevada
4 chávenas de farinha de trigo.

Preparação
Misture o fermento com 1 c (sopa) de açúcar numa chávena de água quente e deixe repousar. Misture o restante açúcar, o sal e o óleo ou azeite numa chávena de água quente. Junte a esta mistura 2 chávenas de água quente e todas as farinhas bem misturadas. Bata rigorosamente e junte o fermento.
Amasse bem e deixe repousar num lugar quente durante 20 minutos.

Amasse novamente durante 5 minutos. Divida a massa em 4 pães e deixe levedar num lugar quente durante 30 minutos. Leve ao forno moderado durante aproximadamente 1 hora. Este pão tem uma textura húmida.

27/11/2013

IOGURTE DE SOJA

Ingredientes:
 2 litros de leite de soja de sabor a baunilha (ex.: da marca do Continente)
 2 colheres de sopa de iogurte natural de soja (ex.: da marca do Intermarché)

Preparação:
Ferve-se um litro de leite numa panela com capacidade para 2 litros.
À parte, junta-se o iogurte com um pouco de leite à temperatura ambiente. Depois do leite ferver, se preferir, retire a nata que se formou (para não ficar com "grumos" espalhados pelo iogurte) e adicione o leite à temperatura ambiente à panela com leite fervido.
Por fim, junte o leite com o iogurte e misture suavemente. Tape a panela e envolva-a num cobertor e deixe assim durante a noite até solidificar. Ficará um iogurte cremoso de sabor a baunilha. Guarde no frigorífico e desfrute fresco.
Bom proveito!
Obs. - Com o leite de sabor natural, o iogurte fica mais consistente, mas tende a ficar com um sabor muito ácido. Talvez ficando menos tempo funcione.

GELADO DE FRUTA

Ingredientes:
 Bananas, bem maduras, cortadas em rodelas e congeladas q.b. (cerca de 2 bananas por pessoa)
 Fruta ácida (ex.: morangos/ framboesas/ ananás/ outra) para contrastar congelada q.b. (cerca de um bom punhado por pessoa)
 Bananas maduras não congeladas

Preparação:
Coloca-se a banana congelada às rodelas (soltas, não em bloco), no robot de cozinha, enchendo até cerca de dois terços. O último terço enche-se com a fruta ácida.
Por fim, adiciona-se uma banana não congelada para ajudar a ligar (de contrário ficava tudo em pequeninos cubos de fruta congelada).
Tritura-se tudo até ficar em creme.
Sirva imediatamente e desfrute.
Obs. - É a banana que dá a doçura ao gelado, assim, a proporção entre a quantidade de banana e da fruta ácida fica a gosto pessoal. Se sobrar gelado, pode guardar no congelador e voltar a usar, descongelando um pouco antes, mas já não vai ter a mesma consistência cremosa, pois vai ter alguns cristais de gelo presentes.

Beringela com Tomate no forno

Ingredientes:
Beringela
Tomate
Azeite q.b
Molho de soja q.b.
Sal q.b.
Ervas aromáticas (tomilho, Manjericão q.b.)
Maionese de soja q.b.

Preparação:
Cortar as beringelas em rodela e colocar de molho com a água e sal deixar +/- 1hora. Depois tira-se da água e deixa escorrer.
Tempere as beringelas, as rodelas tomate, com as ervas aromáticas, o sal, o azeite, molho de soja.
Num tabuleiro untado coloque as rodelas beringelas e por cima coloque uma rodela de tomate e por cima do tomate uma colher (chá) de maionese, e leve ao forno pré aquecido com uma temperatura de 180®c.

Batata Assada com Soja

Ingredientes:
Batata q.b.
Soja q.b.
Azeite q.b.
Caldo vegetal
Sal q.b.
Alho seco q.b.
Ervas aromáticas (manjericão Seco, Tomilho seco)
Levedura de cerveja
Dentes de alho q.b.

Preparação:
Leve ao lume uma panela com a água a soja com o sal. O alho em pó e o molho de soja e deixe cozer durante uma hora +/-. Depois de cozida escore-as.
Tempere-as com um molho (azeite, caldo vegetal, salsa, molho de soja, sumo de limão, levedura de cerveja, sal. Q.b.) e deixe a marinar +/- 20 minutos e reserve.
Descasque as batatas e corte-as em cubos grandes e polvilhe com as ervas aromáticas seca (tomilho, manjericão).
Misture as batatas e as sojas, numa bacia e envolve bem. Num tabuleiro coloque as batatas e soja e leve ao forno numa temperatura +/- 180®c durante cerca de 30 minutos ou até a batata estiver assada, mas vai sempre envolvendo no forno para não as sojas não se queimar e secar

Molho para o pão de alho

Ingredientes:
100ml de azeite
3 dentes de alho
2 Colheres (sopa) de massa de pimentão
2 colhres (sopa) de orégãos seco.

Preparação:
Num copo misturador, colocar tudo e triturar.
Com um pincel, barrar no pão em fatia e elevara ao forno até ficar tostado.

Bacalhau Vegetariano

Ingredientes:
2 kg de batata
4 Alhos franceses parte branca
1 Caldo vegetal
2 colheres ( sopa ) de azeite
3cebolas grandes picada
500g de tofu
Sal q.b
Leite de soja q.b.
Maionese de soja q.b.
2 colheres(sopa) de levedura de cerveja
Pão ralado q.b.
Salsa q.b.
Azeitona preta descaroçada q.b.

Preparação:
Num tabuleiro de forno, dispõe-se batatas aos palitos, temperada com o sal, azeite e alho moído. Leve ao forno assar e reserve.
Estufar os 4 alhos franceses em rodelas, a cebola, azeite, e o caldo.
Desfarele o tofu com a mão ou com um garfo, e adicionar ao estufado de alho francês e deixar cozer e desligue o fogão.
Adicionar as batatas ao preparado, a levedura de cerveja, a maionese (não coloque muita maionese. Acrescente com o leite de soja) e a salsa picada e envolve tudo e prova o paladar.
Coloque no tabuleiro polvilhe com o pão ralado e enfeite com as azeitonas pretas descaroçada e leve ao forno gratinar.

20/10/2013

Salada de Cuscuz

Ingrediente
1 alho francês
½ pimento verde
½ pimento vermelho
2 rabanetes
1 cebola
200 g de favas sem pele
2 c (sopa) de azeite
Sal
2 c. (sopa) de açafrão
200 g de cuscuz
2 dl de água
1 c. (sopa) de sementes de sésamo
1 c. (sopa) de amendoins

Preparação
1.      Corte o alho francês às rodelas finas, os pimentos aos cubos e os rabanetes em juliana e pique a cebola. Estufe-os com as favas no azeite e tempere com sal.
2.      Junte 1 c (sopa) do açafrão aos legumes e, de seguida, os cuscuz. Deixe fritar durante cerca de um minuto, mexendo sempre. Junte a água e cozinhe por mais um minuto.
3.      Retire do lume e deixe o cuscuz descansar, por alguns minutos, para que inche. Mexa bem, coloque no recipiente de servir e polvilhe com as sementes de sésamo e os amendoins. Enfeite a taça com o restante açafrão.


Nota: o cuscuz porém da parte interior do grão de trigo. Este alimento é rico em hidratos de carbono e pode constituir um acompanhamento diferente, para quem procura uma alimentação variada e com novos sabores.

12/09/2013

Creme de Amêndoa para Barrar




Pele as amêndoas e triture-as somente com a água necessária no liquificador. Quando obtiver uma pasta espessa acrescente uma pitada de sal e se desejar que fique mais doce, acrescente uma tâmara por cada chávena de amêndoa. Guarde no frigorífico. Experimente e verá quão delicioso é este creme.


Nota: pode tostar ligeiramente as amêndoas antes de as triturar.

05/08/2013

Salteado de Seitan ao Estilo Chinês


Ingredientes (3 pessoas)
1 pacote de seitan cortado em tiras finas (250grs)
2 alhos-franceses cortados em rodelas finas
1 cenoura cortada em tiras finas
1 punhado de feijão verde cortado e fervido durante 3 minutos.
½ chávena de milho congelado ou de lata
½ pacote de rebentos de soja
2 colheres de sopa de sementes de girassol
Molho de soja
Gengibre fresco ralado.
Azeite.

Preparação
1.      Aquecer uma frigideira ou caçarola de aço inoxidável. Saltear o alho francês em azeite durante 2 ou 3 minutos com uma pitada de sal marinho.
2.      Adicionar as cenouras e saltear durante 6 minutos. Introduzir o feijão verde fervido, o seitan cortado, os rebentos de soja e o milho. Saltear tudo durante 4 ou 5 minutos adicionando uma gotas de molho de soja e o sumo de gengibre.
3.      Adicionar as sementes de girassol tostadas e servir de imediato.

Bom apetite.

26/06/2013

Que Privilégio, Ser Cooperador de Deus

Porque nós somos cooperadores de Deus; vós sois lavoura de Deus e edifício de Deus. I Cor. 3:9.
Se tão-somente vos fosse dado compreender que o Deus do Céu toma os que Lhe foram rebeldes ao governo e lhes diz: Podereis ser Meus cooperadores. Se quiserdes consagrai-vos hoje inteiramente a Ele. ... Não é maravilhoso podermos receber a abundante corrente de graça da Divindade, e trabalhar em harmonia com Deus? Que quer a Divindade conosco - pobres, fracos como somos? Que pode Deus fazer conosco? - Tudo, uma vez que estejamos dispostos a nos entregar totalmente.
Quando Deus me chamou já na minha infância para trabalhar para Ele, eu costumava pensar: Que posso fazer? Ele diz: Faze o que te mando. Isso é tudo quanto qualquer de nós precisa fazer. Quero dizer-vos o que cada um de nós, desde o mais idoso ao mais jovem, pode fazer: Podeis cooperar com Deus, ... e uns com os outros. ... Não cuideis em como vos agradar a vós mesmos. Compreendereis que sois responsáveis pela influência que exerceis. ...
"Nós somos cooperadores de Deus; vós sois lavoura de Deus." I Cor. 3:9. Pensai nisto! Ele está procurando cultivar a mente da mesma maneira que vós cultivais a terra. Ele procura semear semente que dê fruto para Sua glória. "Vós sois... edifício de Deus." I Cor. 3:9. Porém Ele não edifica sem cuidado por vós. The Youth's Instructor, 3 de maio de 1900.
Se consagrarmos a vida a Seu serviço, nunca chegaremos a situações para as quais Deus não haja feito provisão. Parábolas de Jesus, pág. 173.
Jesus disponibiliza toda a provisão do Seu inexprimível amor e declara a todos: "Sois cooperadores de Deus." Carta 1a, 1894.

O Verdadeiro Esforço Missionário Começa no Lar


E eram ambos justos perante Deus, vivendo irrepreensivelmente em todos os mandamentos e preceitos do Senhor. Luc. 1:6.
Ao formar relações com Cristo, o homem renovado está simplesmente volvendo à relação com Deus que lhe era designada. ... Seu primeiro dever é para com seus filhos e parentes mais próximos. Coisa alguma o pode desculpar de negligenciar o círculo mais íntimo pelo círculo mais largo, exterior. No dia do final ajuste de contas, ... será perguntado aos pais e mães que fizeram para assegurar a salvação das pessoas que tomaram a responsabilidade de trazer ao mundo. Negligenciaram eles seus cordeirinhos, deixando-os ao cuidado dos estranhos? General Conference Bulletin, 1899.
No moldar devidamente o espírito de seus filhos, é confiada às mães a maior missão dada a mortais. Manuscrito 29, 1886.
Sempre que lançais mão do dever que vos está mais perto, Deus vos abençoa, e ouve as vossas orações. Muitos há fazendo trabalho missionário enquanto sua própria família fica destituída desses esforços - vai à ruína por causa da negligência. ... A primeira obra missionária é ver que o círculo de família seja possuído de amor, luz, alegria. Não ponhamos os olhos em alguma grande obra de temperança ou missionária enquanto não houvermos primeiro cumprido nosso dever em casa. Cada manhã devemos pensar: Que boa ação poderei hoje praticar? Que amável palavra poderei proferir? As palavras bondosas no lar são como benditos raios solares. O marido necessita delas, delas necessita a esposa, e as crianças as precisam também. ... Deve ser o desejo de cada coração trazer o mais possível o Céu aqui para baixo. Precisamos ser justos antes de sermos generosos. É necessário haver religião doméstica, ações de graças no lar. Review and Herald, 23 de dezembro de 1884.
O verdadeiro esforço cristão começa na família, devendo-se expandir do centro para abranger esferas mais amplas. Uma pessoa salva no círculo de vossa família ou na vizinhança, pelo vosso paciente e esforçado trabalho, trará ao nome de Cristo tanta honra e brilhará tão intensamente em vossa coroa, como se a houvésseis encontrado na China ou na Índia. Signs of the Times, 10 de novembro de 1881.

Fidelidade no Pouco Significa Fidelidade no Muito


Quem é fiel no mínimo também é fiel no muito; quem é injusto no mínimo também é injusto no muito. Luc. 16:10.
Perde-se muito tempo no anseio de fazer alguma grande coisa, uma obra maravilhosa, ao passo que os deveres que se encontram à mão, cujo cumprimento daria fragrância à existência, são perdidos de vista. A vida que é semelhante à de Cristo no lar, será semelhante à de Cristo na igreja. É a negligência dos pequenos deveres no esforço de buscar uma grande obra que estraga a vida de muitos. Manuscrito 19, 1892.
Muitos admiram o amplo e profundo rio que flui majestosamente em seu curso rumo ao oceano. É digno de admiração; pois está efetuando a obra que lhe foi designada. Mas que diremos dos milhares de regatos que brotam da encosta das montanhas, que ajudam a avolumar essa nobre corrente? É verdade que são pequenos e estreitos; são, porém, indispensáveis, pois sem eles o rio não poderia existir. Juntos, estão fazendo a obra que lhes foi designada em fertilizar a terra; sua passagem pelos campos e prados pode ser conhecida pelo vivo verdor que lhes margeia o leito. Estão assim cumprindo o plano de Deus, e acrescentando prosperidade ao mundo. O poderoso rio abriu por si mesmo um canal através das montanhas eternas; o regato, porém, é tão necessário em sua esfera, como o próprio rio. ...
Cada membro é individualmente responsável pela prosperidade da igreja. O mundo está repleto de trabalho a fazer para o Mestre. Cada dia traz seus fardos de cuidados e responsabilidade; e se um que seja negligenciar a parte que lhe foi destinada, interesses sagrados hão de sofrer. Review and Herald, 6 de janeiro de 1885.
É a cuidadosa atenção dispensada ao que o mundo chama coisas pequeninas, que faz a grande beleza e o êxito da vida. Pequenos atos de caridade, pequenas palavras de bondade, pequenas ações de abnegação, o sábio aproveitamento das pequeninas oportunidades, o diligente cultivo dos pequenos talentos, fazem grandes homens à vista de Deus. The Youth's Instructor, 21 de abril de 1898.
Atenciosas cortesias que, começando em nossa família, se estendem para além do círculo familiar, ajudam a formar a soma da felicidade da vida. Testimonies, vol. 3, págs. 539 e 540.

Influência Maravilhosa

A habitação dos justos Ele abençoará. Prov. 3:33.

Uma vez que tenhamos Cristo em nós, seremos cristãos no lar da mesma maneira que lá fora. Quem é cristão, terá boas palavras para parentes e pessoas de relações. Será cortês, bondoso, amável, cheio de simpatia, e preparar-se-á para habitar com a família do alto. Caso seja membro da família real, representará o reino para onde vai. Falará com brandura a seus filhos, compreendendo que eles também são herdeiros de Deus, membros da corte celeste. Entre os filhos de Deus não habita o espírito de aspereza. Review and Herald, 20 de setembro de 1892.
Lembrai-vos de que, da mesma maneira que sois no meio da família, sereis na igreja. Pela maneira por que tratardes vossos filhos, tratareis a Cristo. Se nutrirdes um espírito contrário ao exemplificado por Cristo, estareis desonrando a Deus. ... A posição não é que faz o homem. É Cristo formado no interior que faz o homem digno de receber a coroa da vida, coroa incorruptível.
Deus quer que toda pessoa comece em casa, vivendo aí a vida cristã. Na igreja ou em qualquer transação de negócios, o homem será exatamente aquilo que é no lar. Caso ele se submeta à orientação do Espírito Santo no ambiente doméstico, se compreende suas responsabilidades no lidar com a mente das pessoas aí, então, quando em posição de responsabilidades maiores, seguirá a mesma orientação. Lembrando a ternura de Cristo para com ele, manifestará o mesmo amor e ternura para com os outros. ...
Os princípios do Céu devem ser seguidos em toda família, na disciplina de toda igreja, em todo estabelecimento, em toda instituição, em toda escola e em tudo quanto se houver de dirigir. General Conference Bulletin, 3 de abril de 1901.
Homens e mulheres, crianças e jovens, são pesados nas balanças do Céu, em harmonia com o que revelam na vida doméstica. Um cristão no lar, é cristão em toda parte. A religião introduzida no lar exerce uma influência que se não pode medir. Manuscrito 34, 1899.

25/06/2013

Quinoa com Legumes salteados e TOFU


Ingredientes (5 pessoas 25 minutos)
200g de quinoa
2 c. (sopa) de azeite
500 ml de água quente
Sal q.b.

Preparação
Numa panela, coloque o azeite, junte a quinoa e frite por 1 minuto. Junte a água, sal e quando ferver baixe o lume e tape durante 20 minutos.
…………………………..
Legumes Salteados com Tofu
Ingredientes (5 pessoas 10 minutos)
200 gr de tofu aos cubos
100 gr de cogumelos cortados
1 curgete cortada
1 cebola cortada às rodelas (opcional)
Nota: a cebola depois de cortada deve ser cozinhada o mais rápido possível.
1 c. (café) de gengibre ralado
1 c. (café) de pimentão-doce
1 c. sobremesa de molho de soja
5 folhas de manjericão
2 folhas de hortelã cortada

Preparação
Juntar tudo numa taça e deixar marinar numa frigideira, colocar um pouco de azeite e grelhar o preparado anterior durante cerca de 5 minutos. Juntar as ervas e servir com a quinoa.

02/06/2013

Adoptados Pela Graça


Vocês não receberam um espírito que os escravize para novamente temerem, mas receberam o Espírito que os adopta como filhos, por meio do qual clamamos: “Aba, Pai”. Romanos 8:15
 A vida pastoral tem momentos ricos e inesquecíveis. O pastor acompanha de perto sonhos e problemas dos membros da igreja.
Qundo fui pastor das igrejas Adventistas das Caldas da Rainha, Peniche, Rio Maior e Cadaval visitei uma família em Bombarral, este casal por razões que ignoro não podiam ter filhos. Decidiram por essa razão adoptar uma criança nós (eu e a minha mulher) não sabíamos que a criança não era filho biológico, soubemos enquanto conversávamos. Ficamos muito impressionados, na altura, não tínhamos experiência nesta área e eu fiquei particularmente intrigado como se podia manifestar tanto amor a uma criança que não era filho.
A mãe em particular repetia quase sem cessar “querido”, “filhinho” e abraçava a criança apertando-a carinhosamente contra o peito. O menino tinha sido adoptado recentemente, no entanto, havia uma interacção entre o menino e a mãe tão profunda como se tivesse nascido do seu ventre.
Eu dizia comigo mesmo: “Mas o bebé acaba de ser adoptado! Como é que dentro de tão pouco tempo se desenvolveu amor tão grande e um vínculo afectivo tão forte?” Estava nos braços da mulher alguém que não tinha nascido dela, mas ela o apresentava orgulhosamente como filho. Quantas histórias bonitas e quantas fotografias mostram a felicidade dos pais com os seus filhos adoptivos.
 No tempo em que Paulo escreveu o texto acima, as leis romanas já permitiam a adopção. Na maior parte dos casos, tratava-se da adopção de escravos já em maioridade, que eram comprados para ser libertos. Outros, em situação bem diferente, eram levados para a casa da pessoa que os tinha libertado para ser recebidos como filhos, como membros da família.
 A adopção é uma das ilustrações que Deus usa para mostrar o relacionamento que Ele quer ter connosco. Quando aceitamos Cristo como nosso Salvador, somos adoptados como Seus filhos e começamos uma vida nova. Temos direito a uma nova posição: não mais a de servo, nem escravo, mas de filhos e filhas.
“Aos que O receberam, aos que creram em Seu nome, deu-lhes o direito de se tornarem filhos de Deus” (Jo 1:12).
 E quanto à participação na herança futura, somos co-herdeiros juntamente com Cristo, pois o mesmo apóstolo diz: “Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não se manifestou o que havemos de ser, mas sabemos que, quando Ele Se manifestar, seremos semelhantes a Ele, pois O veremos como Ele é” (1Jo 3:2).

01/05/2013

Andando a Segunda Milha

 


Não gostamos de fazer as coisas por obrigação. Dá a impressão de que estamos a submeter-nos a um pedido despropositado e a ser inferiorizados. Esperneamos, argumentamos, reclamamos, mas não adianta. Obrigação significa ausência de diálogo. Não há opção. Não opine! Não discuta! Não há escolha.
 
 Acredito que, fora do momento de combate, em nenhum outro momento o soldado romano era mais odiado do que quando recrutava um civil para levar as suas armas e equipamento. Mas Jesus não limitou a questão ao soldado romano: “Se alguém o forçar a caminhar com ele uma milha, vá com ele duas.”
Uma das características do verdadeiro cristianismo é produzir homens e mulheres da segunda milha. E o importante é como caminhar a segunda milha. Tenho que andar nela com alegria, com entusiasmo, sem ressentimento e sem reclamação.
 Na primeira milha, vamos encontrar gente que chega na hora e sai na hora. Na segunda, encontramo-nos com quem chega antes e sai depois.
 
 Na primeira milha, vamos encontrar pessoas que fazem até 95% do trabalho. Na segunda, pessoas que vão dos 95% aos 100%. Na primeira milha, encontramos pessoas que inventam qualquer pretexto para se ausentar do trabalho. Na segunda, vamos ter como companheiros gente disposta a dar mais energia do que se espera e até a se sacrificar.
 A primeira milha está sempre cheia, congestionada. Os que viajam nela são os que perguntam: “Como é que eu posso fazer o mínimo e, mesmo assim, sobreviver no emprego?”
 
Somos chamados a andar a segunda milha mesmo quando a mesa está abarrotada de trabalho e as pessoas chegam fora de hora. Quando vem um pedido no fim do expediente e você está com acúmulo de trabalho. Quando passam para você uma carga extra de trabalho de outra pessoa que é “folgada” e preguiçosa. Você anda a segunda milha quando faz mais do que lhe estão a pedir. Até mesmo quando lhe pedem que faça uma coisa de que você não gosta, ou que seja desinteressante para você.
 
 Em todos os postos de trabalho, em todas as posições, precisamos hoje de gente da segunda milha. Se a lei do menor esforço prevaleceu durante algum tempo, você deve estar atento porque, mesmo sem se falar de “segunda milha”, valoriza-se a tenacidade e a dedicação no trabalho.
 Será que você pode honestamente dizer que é uma pessoa da segunda milha?
 
Meditações da Mulher, 2011

04/04/2013

JESUS Compreende os Nossos Motivos

E, chamando os seus discípulos, disse-lhes: Em verdade vos digo que esta pobre viúva depositou mais do que todos os que depositaram na arca do tesouro. Mar. 12:43.

Jesus estava no pátio onde se achava a arca do tesouro, e observava os que ali iam depositar as ofertas. Muitos dos ricos levavam largas somas, que apresentavam com grande ostentação. Jesus os contemplava tristemente, mas não fez comentário algum acerca de suas liberais ofertas. Num momento, Sua fisionomia iluminou-se ao ver uma pobre viúva aproximar-se hesitante, como receosa de ser observada. Enquanto os ricos e altivos se apressavam para depor suas dádivas, ela se retraía, como se mal ousasse adiantar-se. Todavia, anelava fazer qualquer coisa, por pequenina que fosse, pela causa que amava. Contemplou a dádiva que tinha na mão. Era demasiado pequena em comparação com as ofertas dos que a rodeavam; ali estava, no entanto, tudo quanto possuía. Espreitando o ensejo, deitou apressadamente suas duas moedinhas, e virou-se para se afastar, ligeira. Ao fazê-lo, porém, encontrou o olhar de Jesus, cravado nela.
O Salvador chamou a Si os discípulos, e convidou-os a notar a pobreza da viúva. Então soaram aos ouvidos dela Suas palavras de louvor. "Em verdade vos digo que esta pobre viúva depositou mais do que todos." Luc. 21:3. Lágrimas de alegria lhe encheram os olhos, ao ver que seu ato era compreendido e apreciado. Muitos tê-la-iam aconselhado a guardar seu escasso recurso para o próprio uso; dado às mãos dos bem nutridos sacerdotes, perder-se-ia de vista entre os muitos custosos dons levados ao tesouro. Mas Jesus entendeu-lhe o motivo. Ela cria que o serviço do templo era indicado por Deus, e estava ansiosa por fazer tudo que lhe era possível para sua manutenção. Fez o que pôde e sua ação serviria de monumento a sua memória, através dos tempos, e alegria na eternidade. O coração acompanhou-lhe a dádiva; seu valor foi estimado, não pela importância da moeda, mas pelo amor para com Deus e o interesse para com Sua obra, que a motivaram. ...
É o motivo que dá sentido às nossas ações, assinalando-as com ignomínia ou elevado valor moral. Não são as grandes coisas que todos os olhos vêem e toda língua louva, que Deus considera mais preciosas. Os pequenos deveres cumpridos com contentamento, as pequeninas dádivas que não fazem vista, e podem parecer destituídas de valor aos olhos humanos, ocupam muitas vezes diante de Deus o mais alto lugar. Um coração de fé e amor é mais precioso para Deus que os mais custosos dons. ... Foi esse espírito abnegado e essa infantil fé que atraiu o louvor do Senhor.
Existem entre os pobres muitos que anelam manifestar gratidão para com Deus por Sua graça e verdade. ... Permita-se-lhes pôr suas moedas no banco do Céu. Dadas com o coração cheio de amor para com Deus, essas ninharias aparentes tornam-se dádivas consagradas, inapreciáveis ofertas que Deus aprova e abençoa. O Desejado de Todas as Nações, págs. 614 e 615.

O Pão da Vida

Declarou-lhes, pois, Jesus: Eu sou o pão da vida. João 6:35.

"Eu sou o pão da vida", o Autor, Nutridor e Mantenedor da eterna vida espiritual. ... Cristo Se representa sob a símile do pão celestial. Comer Sua carne e beber Seu sangue significa recebê-Lo como Mestre enviado pelo Céu. Crer nEle é essencial à vida espiritual. Os que se banqueteiam da Palavra nunca passam fome, nunca têm sede, nunca desejam algum bem mais elevado ou mais exaltado.
Cristo explicou tão claramente o significado de Suas palavras que ninguém precisa tropeçar nelas. Sua declaração a respeito de comer a carne e beber o sangue do Filho de Deus deve ser interpretada no sentido espiritual. Nós comemos a carne de Cristo e bebemos o Seu sangue quando pela fé nos apegamos a Ele como nosso Salvador.
Cristo usou a figura de comer e beber para representar a intimidade com Ele que precisam ter todos os que finalmente participarão com Ele em Sua glória. O alimento temporal que ingerimos é assimilado, dando força e consistência ao corpo. De modo semelhante, quando cremos nas palavras do Senhor Jesus e as aceitamos, elas passam a fazer parte de nossa vida espiritual, trazendo luz e paz, esperança e alegria, e fortalecendo a vida como o alimento material fortalece o corpo.
Não basta conhecermos e respeitarmos as palavras das Escrituras. Precisamos compreendê-las, estudando-as diligentemente. ... Os cristãos revelarão a intensidade com que fazem isso pelo saudável estado de seu caráter espiritual. Precisamos conhecer a aplicação prática da Palavra à edificação de nosso caráter individual. Devemos ser templos santos, em que Deus possa viver, andar e atuar. Nunca devemos procurar elevar-nos acima dos servos que Deus escolheu para fazerem Sua obra e honrarem Seu santo nome. "Vós todos sois irmãos." Apliquemos esta Palavra a nossa própria pessoa, comparando uma passagem com outra.
Em nossa vida diária, perante nossos irmãos e perante o mundo, devemos ser vivos intérpretes das Escrituras, honrando a Cristo ao revelarmos Sua mansidão e Sua humildade de coração. Comendo e assimilando o pão da vida, revelaremos um caráter simétrico. Por nossa unidade, e considerando os outros superiores a nós mesmos, devemos dar ao mundo vivo testemunho do poder da verdade. ...
Submetendo-se inteiramente a Deus, comendo o pão da vida e bebendo a água da salvação, os homens crescem em Cristo. Seu caráter se compõe daquilo que a mente come e bebe. Por meio da Palavra da vida, que eles aceitam e a que obedecem, tornam-se participantes da natureza divina. Então... Cristo, e não o homem, é exaltado. SDA Bible Commentary, vol. 5, pág. 1.135.
 

A Palavra, Nosso Alimento Espiritual

O que vem a Mim jamais terá fome; e o que crê em Mim jamais terá sede. João 6:35.

Nesta época do mundo há muitos que agem como se estivessem livres para contestar as palavras do Infinito, para rever Suas decisões e estatutos, apoiando, revisando, reformulando e anulando como lhes aprouver. Nunca estamos seguros enquanto somos guiados por opiniões humanas, mas estamos seguros quando somos guiados por um "Assim diz o Senhor". Não podemos confiar a salvação de nossa vida a um padrão inferior às decisões de um Juiz infalível.
Aqueles que fazem de Deus o seu guia e de Sua Palavra o seu conselheiro contemplam a lâmpada da vida. Os vivos oráculos de Deus guiam os seus pés em caminhos retos. Os que são dirigidos dessa maneira não se atrevem a julgar a Palavra de Deus, mas afirmam sempre que é Sua Palavra que os julga. Eles obtêm sua fé e religião da Palavra do Deus vivo. Ela é o guia e conselheiro que dirige o caminho deles. A Palavra de Deus é de fato uma luz para os seus pés e uma lâmpada para o seu caminho. Eles andam sob a direção do Pai da luz, em quem não há variação, nem sombra de mudança. Aquele cujas ternas misericórdias estão sobre todas as Suas obras torna o caminho dos justos como luz fulgurante, que brilha cada vez mais até ser dia perfeito.
A Palavra de Deus deve ser o nosso alimento espiritual. "Eu sou o pão da vida", disse Cristo; "o que vem a Mim jamais terá fome; e o que crê em Mim jamais terá sede." João 6:35. O mundo está perecendo por falta da verdade pura e não adulterada. Cristo é a verdade. Suas palavras são verdade, e têm mais valor e mais profunda significação do que se apresenta superficialmente. ... As mentes que são vivificadas pelo Espírito Santo discernirão o valor destas declarações. ...
Todo judeu sincero foi convencido por sua consciência de que Jesus Cristo era o Filho de Deus, mas o coração, em seu orgulho e ambição, não queria ceder. Quando a verdade só é aceita como verdade pela consciência, quando o coração não é estimulado nem se torna receptivo, apenas a mente é influenciada. Mas quando a verdade é aceita como verdade pelo coração, ela passou pela consciência e cativou o espírito com os seus princípios puros. Ela é colocada no coração pelo Espírito Santo, o qual revela sua beleza à mente, para que o seu poder transformador se faça notar no caráter. ...
A religião verdadeira está incorporada na Palavra de Deus, e consiste em estar sob a orientação do Santo em pensamento, palavra e ação. Aquele que é o Caminho, a Verdade e a Vida toma o pesquisador humilde, diligente e sincero, e diz: Segue-Me. Ele o conduz no caminho estreito, à santidade e ao Céu. ... E todos os que decidem seguir inteiramente ao Senhor serão guiados no caminho real. Review and Herald, 29 de março de 1906.

O Pão da Vida e o Manto da Justiça

Porque o pão de Deus é O que desce do Céu e dá vida ao mundo. João 6:33.

Se vós, pois, sendo humanos e maus, "sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais dará o Pai celestial o Espírito Santo àqueles que Lho pedirem?" Luc. 11:13. O Espírito Santo, Seu próprio representante, é o maior de todos os dons. Todas as "boas coisas" se acham compreendidas nesse dom. O próprio Criador não nos pode dar coisa alguma maior, coisa alguma melhor. Quando rogamos ao Senhor que tenha piedade de nós em nossa aflição, e nos guie por Seu Santo Espírito, Ele nunca rejeitará nossa oração.
É possível que mesmo um pai terrestre desatenda a seu filho com fome, mas Deus jamais desprezará o grito do necessitado e anelante coração. Com que maravilhosa ternura descreveu Ele o Seu amor! Eis, para os que nos dias escuros, julgam que Deus os esqueceu, a mensagem do coração do Pai: "Sião diz: Já me desamparou o Senhor; o Senhor Se esqueceu de mim. Pode uma mulher esquecer-se tanto do filho que cria, que se não compadeça dele, do filho do seu ventre? Mas, ainda que esta se esquecesse, Eu, todavia, Me não esquecerei de ti. Eis que, na palma das Minhas mãos, te tenho gravado." Isa. 49:14-16.
Toda promessa na Palavra de Deus nos fornece assunto de oração, apresentando a empenhada palavra de Jeová como nossa garantia. Seja qual for a bênção espiritual de que necessitemos, cabe-nos o privilégio de reclamá-la por meio de Jesus. Podemos dizer ao Senhor, com a singeleza de uma criança, justamente o que necessitamos. Podemos declarar-Lhe nossos negócios temporais, pedindo-Lhe pão e roupa da mesma maneira que o pão da vida e o vestido da justiça de Cristo. Vosso Pai celeste sabe que tendes necessidade de todas estas coisas, e sois convidados a pedir-Lhas. É mediante o nome de Jesus que se recebe todo favor. Deus honrará esse nome, e suprirá vossas necessidades dos tesouros de Sua liberalidade.
Não esqueçais, porém, que, ao vos chegardes a Deus como vosso Pai, reconheceis vossa relação de filho. Não somente confiais em Sua bondade, mas em tudo vos submeteis ao Seu querer, sabendo que Seu amor é imutável. Entregai-vos para fazer-Lhe o serviço. Foi àqueles a quem Jesus mandou que buscassem primeiro o reino de Deus e Sua justiça, que Ele deu a promessa: "Pedi e recebereis." João 16:24.
Os dons dAquele que tem todo poder no Céu e na Terra, estão reservados para os filhos de Deus. Dons tão preciosos que nos advêm por intermédio do precioso sacrifício do sangue do Redentor; dons que satisfarão os mais profundos anseios do coração; dons tão perduráveis como a eternidade, serão recebidos e desfrutados por todos os que se aproximarem de Deus como criancinhas. Tomai as promessas de Deus como vos pertencendo, alegai-as diante dEle como Suas próprias palavras, e recebereis a plenitude da alegria. O Maior Discurso de Cristo, págs. 132-134.

25/03/2013

Jesus Celebra a Sua Primeira Páscoa

Ora, todos os anos, iam seus pais a Jerusalém, à Festa da Páscoa. E, tendo ele já doze anos, subiram a Jerusalém, segundo o costume do dia da festa. Luc. 2:41 e 42.

Todos os anos José e Maria subiam a Jerusalém para a festa da páscoa, de acordo com os requisitos da lei judaica. Os dias da infância de Jesus haviam terminado. Ele ingressara no período da juventude. José e Maria, segundo o seu costume, prepararam-se para fazer a longa viagem a Jerusalém. Eles levaram Jesus consigo. Foram junto com muitos outros que se dirigiam a Jerusalém para observar essa festa solene.
À mente humana é impossível compreender as meditações do Filho de Deus enquanto olhou com interesse para o Templo pela primeira vez. Não podemos imaginar quais foram os Seus pensamentos ao andar nos seus átrios, e discernir com os olhos a obra do sacerdote ministrante, o altar com a vítima ensangüentada, o sagrado incenso subindo a Deus e os mistérios do Santo dos Santos atrás do véu, e compreender a realidade que essas cerimônias prefiguravam. Cristo mesmo era a chave para decifrar todos esses mistérios sagrados que só eram entendidos vagamente por José e Maria. Tudo isso fora instituído para representar a Cristo e cumpriu-se em Sua morte.
A páscoa era o nome dado a essa cerimônia em comemoração do prodigioso evento que foi a saída dos hebreus do Egito. Na noite em que eles saíram do Egito, o anjo destruidor entrou em todas as casas e matou todos os primogênitos, desde o filho mais velho do rei no seu trono, até o primogênito do escravo de posição mais humilde. ...
O Senhor deu instruções especiais aos hebreus, ordenando que cada família matasse um cordeiro e aspergisse o sangue nos batentes das portas, para que quando o anjo destruidor empreendesse sua missão de morte, o sangue sobre a ombreira da porta fosse para eles um sinal de que aqueles que se achavam dentro da casa eram os adoradores do Deus verdadeiro. O anjo da morte passou por alto as casas assim designadas. Ordenou-se que nessa noite memorável os hebreus estivessem preparados para a sua viagem. ...
De acordo com as instruções que lhes foram dadas por Deus, todos eles se achavam preparados para a viagem, prontos para a ordem de saída do Egito. ...
Conquanto a instituição da páscoa apontasse para trás, ao maravilhoso livramento dos hebreus, ela também apontava para a frente, mostrando a morte do Filho de Deus antes que ocorresse. Na última páscoa que nosso Senhor observou com os Seus discípulos, Ele instituiu a Ceia do Senhor em lugar da páscoa, para que fosse observada em memória de Sua morte. Não tinham mais necessidade da páscoa, pois Ele, o grande Cordeiro antitípico, estava pronto para ser sacrificado pelos pecados do mundo. O tipo encontrou o antítipo na morte de Cristo. Youth's Instructor, maio de 1873.

Jesus veio Buscar e Salvar o Perdido

Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido. Luc. 19:10.

Aparece o Mestre designado pelo Céu, e não é outro personagem senão o Filho do Deus Infinito. Abri o rolo e lede o que está escrito a Seu respeito. Moisés declarou aos filhos de Israel: "Então, o Senhor me disse: Bem falaram naquilo que disseram. Eis que lhes suscitarei um Profeta do meio de seus irmãos, como tu, e porei as Minhas palavras na Sua boca, e Ele lhes falará tudo o que Eu Lhe ordenar. E será que qualquer que não ouvir as Minhas palavras, que Ele falar em Meu nome, Eu O requererei dEle." Deut. 18:17-19. Aqui está a predição anunciando a notável chegada. Suas palavras não deviam ser desprezadas; pois Sua autoridade era suprema e Seu poder invencível.
Abri o rolo ainda mais e lede o que Isaías diz de Sua obra: "O Espírito do Senhor Jeová está sobre Mim, porque o Senhor Me ungiu para pregar boas novas aos mansos; enviou-Me a restaurar os contritos de coração, a proclamar liberdade aos cativos e a abertura de prisão aos presos; a apregoar o ano aceitável do Senhor e o dia da vingança do nosso Deus; a consolar todos os tristes; e a ordenar acerca dos tristes de Sião que se lhes dê ornamento por cinza, óleo de gozo por tristeza, veste de louvor por espírito angustiado, a fim de que se chamem árvores de justiça, plantação do Senhor, para que ele seja glorificado." Isa. 61:1-3. ...
Além disso, lemos algo sobre Cristo como o Mensageiro do concerto que ainda estava para vir, e como o Sol da Justiça que ainda iria aparecer. Os profetas faziam dEle o seu assunto mais antigo e o mais recente. ...
Em Seu advento, [os judeus] não O receberam porque haviam formado uma falsa idéia acerca da maneira de Sua vinda. Esse Jesus, um camponês e carpinteiro, de origem obscura, o Filho de Deus, o Messias? Não poderia ser.
Mas a peculiaridade que separava os judeus das outras nações desapareceu em Cristo. Ele colocou-Se onde poderia dar instruções a todas as classes de pessoas. Muitas vezes lhes disse que estava ligado a toda a família humana: judeus e gentios. "Não vim chamar os justos [aos seus próprios olhos], mas os pecadores, ao arrependimento" (Mat. 9:13), declarou Ele. Jesus veio buscar e salvar o perdido. Foi para isso que Ele deixou as noventa e nove [ovelhas]; foi para isso que depôs Suas vestes reais e encobriu Sua divindade com a humanidade. O mundo inteiro é o campo de labuta de Cristo. Uma esfera mais restrita do que essa não entra nas Suas cogitações. Signs of the Times, 24 de junho de 1897.

Jesus Representa o Pai

Pai justo, o mundo não Te conheceu; mas Eu Te conheci, e estes conheceram que Tu Me enviaste a Mim. E Eu lhes fiz conhecer o Teu nome e lho farei conhecer mais, para que o amor com que Me tens amado esteja neles, e Eu neles esteja. João 17:25 e 26.

Cristo veio ao mundo para representar o Pai para o homem; pois Satanás O apresentara ao mundo sob uma falsa luz. Porquanto Deus é um Deus de justiça e de grande majestade, que tem poder para destruir bem como para preservar o homem, Satanás induziu os homens a encararem-nO com medo, a considerarem-nO um tirano. Jesus estivera com o Pai desde os séculos eternos, antes da criação do homem, e veio revelar o Pai, declarando: "Deus é amor." I João 4:8. Jesus representou a Deus como Pai bondoso, que cuida dos súditos de Seu reino. Ele declarou que nenhum pardal cai no chão sem que o Pai saiba disso, e que os filhos dos homens são de mais valor à Sua vista do que muitos pardais e que até os cabelos todos da cabeça estão contados.
No Antigo Testamento bem como no Novo Testamento, o Senhor é retratado não somente como um Deus de justiça, mas também como um Pai de amor infinito. O salmista declara: "O Senhor faz justiça e juízo a todos os oprimidos. Misericordioso e piedoso é o Senhor; longânimo e grande em benignidade. Não nos tratou segundo os nossos pecados, nem nos retribuiu segundo as nossas iniqüidades. Pois quanto o céu está elevado acima da Terra, assim é grande a Sua misericórdia para com os que O temem." Sal. 103:6, 8, 10 e 11.
Satanás revestira o Pai de seus próprios atributos, mas Cristo representou-O em Seu verdadeiro caráter de benevolência e amor. No caráter em que Cristo apresentou-O ao mundo, era como se desse uma nova dádiva ao homem. ...
O Filho de Deus declarou em termos positivos que o mundo estava destituído do conhecimento de Deus; mas este conhecimento era do mais alto valor, e constituía uma dádiva especial de Sua parte, o inestimável tesouro que trouxe para o mundo. No uso de Sua excelsa prerrogativa, Ele transmitiu a Seus discípulos o conhecimento do caráter de Deus, para que pudessem comunicá-lo ao mundo. ... Todo aquele que crê na mensagem de Deus deve exaltar a Jesus, dirigir os homens a Cristo e dizer: "Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!" João 1:29.
A pessoa imbuída do amor de Cristo é uma com Ele; ela comunga com Cristo; Ele é formado no íntimo, a esperança da glória, e o cristão passa a representar o Pai e o Filho para o mundo. Signs of the Times, 27 de junho de 1892.

Jesus o Verdadeiro Restaurador

E chamar-te-ão reparador das roturas e restaurador de veredas para morar. Isa. 58:12.

O Filho de Deus veio ao mundo como restaurador. Ele era o Caminho, a Verdade, e a Vida. Toda palavra que proferiu era espírito e vida. Ele falava com autoridade, ciente de Seu poder para abençoar a humanidade e libertar os cativos presos por Satanás; ciente também de que, por Sua presença, traria ao mundo plenitude de alegria. Almejava ajudar todo membro da família humana opresso e sofredor, e mostrar que Sua prerrogativa era abençoar, não condenar.
Para Cristo não era usurpação fazer as obras de Deus; pois foi para cumprir esse desígnio que Ele veio do Céu, e para isso os tesouros da eternidade estavam à Sua disposição. Ele não devia conhecer restrições na distribuição de Suas dádivas. Deixou de lado os que exaltavam a si mesmos, os honrados e os ricos, e misturou-Se com os pobres e oprimidos, trazendo a sua vida um brilho, uma esperança e uma aspiração que nunca haviam conhecido antes. Proferiu uma bênção sobre todos os que sofressem por Sua causa, declarando: "Bem-aventurados sois vós quando vos injuriarem, e perseguirem, e, mentindo, disserem todo o mal contra vós. ..." Mat. 5:11.
Cristo apropriou-Se distintamente do direito à autoridade e lealdade. "Vós Me chamais Mestre e Senhor - declarou Ele - e dizeis bem, porque Eu o sou." João 13:13. "Um só é o vosso Mestre, que é o Cristo." Mat. 23:10. Assim Ele manteve a dignidade própria a Seu nome, e a autoridade e poder que possuía no Céu.
Houve ocasiões em que falou com a dignidade de Sua própria e verdadeira grandeza. "Quem tem ouvidos para ouvir - disse Ele - ouça." Mat. 11:15. Nestas palavras apenas estava repetindo a ordem de Deus, quando, de Sua excelsa glória, o Infinito declarara: "Este é o Meu Filho amado, em quem Me comprazo; escutai-O." Mat. 17:5. Ao estar entre os carrancudos fariseus, que procuravam fazer notar sua própria importância, Cristo não hesitou em comparar-Se com os mais distintos homens representativos que haviam andado na Terra, e reivindicar preeminência sobre todos eles.
Jonas era um desses homens tidos em alta estima pela nação judaica. ... Ao trazer à memória de Seus ouvintes a mensagem de Jonas e o seu auxílio em salvar aquele povo, Cristo disse: "Os ninivitas ressurgirão no Juízo com esta geração e a condenarão, porque se arrependeram com a pregação de Jonas. E eis que está aqui quem é mais do que Jonas." Mat. 12:41.
Cristo sabia que os israelitas consideravam Salomão o maior rei que já empunhou um cetro sobre um reino terrestre. ... Contudo, Cristo declarou: ... "E eis que aqui está quem é mais do que Salomão." Mat. 12:42. Youth's Instructor, 23 de setembro de 1897.

21/03/2013

Traição no Céu

Onde estavas tu quando Eu fundava a Terra? ... ou quem assentou a sua pedra de esquina, quando as estrelas da alva juntas alegremente cantavam, e todos os filhos de Deus rejubilavam? Jó 38:4-7.

Muitos dos simpatizantes de Lúcifer estavam inclinados a ouvir o conselho dos anjos leais e se arrependeram de sua insatisfação, e de novo receberam a confiança do Pai e Seu amado Filho. O grande rebelde declarou então que estava familiarizado com a lei de Deus e se se submetesse a uma obediência servil seria despojado de sua honra. Nunca mais poderia ser incumbido de sua exaltada missão. Disse que ele mesmo e os que com ele se uniram tinham ido muito longe para voltarem, que enfrentaria as consequências, que nunca mais se prostraria para adorar servilmente o Filho de Deus; que Deus não perdoaria, e que agora eles precisavam garantir sua liberdade e conquistar pela força a posição e autoridade que não lhes fora concedida voluntariamente.
Os anjos leais apressaram-se a relatar ao Filho de Deus o que acontecera entre os anjos. Acharam o Pai em conferência com Seu Filho amado, para determinar os meios pelos quais, para o bem-estar dos anjos leais, a autoridade assumida por Satanás podia ser para sempre retirada. O grande Deus podia de uma vez lançar do Céu este arquienganador; mas este não era o Seu propósito. Queria dar aos rebeldes uma oportunidade igual para medirem sua força e poder com Seu próprio Filho e Seus anjos leais. Nesta batalha cada anjo escolheria seu próprio lado e seria manifesto a todos. Não teria sido seguro tolerar que qualquer que se havia unido a Satanás na rebelião, continuasse a ocupar o Céu. Tinham aprendido a lição de genuína rebelião contra a imutável Lei de Deus e isto era irremediável. ...
Então houve guerra no Céu. O Filho de Deus, o Príncipe do Céu, e Seus anjos leais empenharam-se num conflito com o grande rebelde e com aqueles que se uniram a ele. O Filho de Deus e os anjos verdadeiros e leais prevaleceram; e Satanás e seus simpatizantes foram expulsos do Céu. Todo o exército celestial reconheceu e adorou o Deus da justiça. Nenhuma mácula de rebelião foi deixada no Céu. Tudo voltara a ser paz e harmonia como antes ...
O Pai consultou Seu Filho com respeito à imediata execução de Seu propósito de fazer o homem para habitar a Terra. História da Redenção, págs. 16-19.
A rebelião de Satanás deveria ser uma lição para o Universo, durante todas as eras vindouras - perpétuo testemunho da natureza do pecado e de seus terríveis resultados. A atuação do governo de Satanás, seus efeitos tanto sobre os homens como os anjos, mostrariam qual seria o fruto de se pôr de parte a autoridade divina. Testificariam que, ligado à existência do governo de Deus, está o bem-estar de todas as criaturas que Ele fez. Patriarcas e Profetas, págs. 42 e 43.

Igual ao Pai

De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus. Filip. 2:5 e 6.
Lúcifer no Céu, antes de sua rebelião foi um elevado e exaltado anjo, o primeiro em honra depois do amado Filho de Deus. Seu semblante, como o dos outros anjos, era suave e exprimia felicidade. A testa era alta e larga, demonstrando grande inteligência. Sua forma era perfeita, o porte nobre e majestoso. Uma luz especial resplandecia de seu semblante e brilhava ao seu redor, mais viva do que ao redor dos outros anjos; todavia, Cristo, o amado Filho de Deus tinha preeminência sobre todo o exército angelical. Ele era um com o Pai antes que os anjos fossem criados. Lúcifer invejou a Cristo, e gradualmente pretendeu o comando que pertencia a Cristo unicamente.
O grande Criador convocou os exércitos celestiais, para na presença de todos os anjos conferir honra especial a Seu Filho. O Filho estava assentado no trono com o Pai, e a multidão celestial de santos anjos reunida ao redor dEles. O Pai então fez saber que por Sua própria decisão Cristo, Seu Filho, devia ser considerado igual a Ele, assim que em qualquer lugar que estivesse presente Seu Filho, isto valeria pela Sua própria presença. A palavra do Filho devia ser obedecida tão prontamente como a palavra do Pai. Seu Filho foi por Ele investido com autoridade para comandar os exércitos celestiais. Especialmente devia Seu Filho trabalhar em união com Ele na projetada criação da Terra e de cada ser vivente que devia existir sobre ela. O Filho levaria a cabo Sua vontade e Seus propósitos, mas nada faria por Si mesmo. A vontade do Pai seria realizada n´Ele.
Lúcifer estava invejoso e enciumado de Jesus Cristo. Todavia, quando todos os anjos se curvaram ante Jesus reconhecendo Sua supremacia e alta autoridade e direito de governar, ele curvou-se com eles, mas seu coração estava cheio de inveja e rancor. ...
Os anjos que eram leais e sinceros procuraram reconciliar este poderoso rebelde à vontade de seu Criador. Justificaram o ato de Deus em conferir honra a Seu Filho, e com fortes razões tentaram convencer Lúcifer que não lhe cabia menos honra agora, do que antes que o Pai proclamasse a honra que Ele tinha conferido a Seu Filho. Mostraram-lhe claramente que Cristo era o Filho de Deus, existindo com Ele antes que os anjos fossem criados, que sempre estivera à mão direita de Deus, e Sua suave, amorosa autoridade até o presente não tinha sido questionada; e que Ele não tinha dado ordens que não fossem uma alegria para o exército celestial executar. Eles insistiam que o receber Cristo honra especial de Seu Pai, na presença dos anjos, não diminuía a honra que Lúcifer recebera até então. Os anjos choraram. Ansiosamente tentaram levá-lo a renunciar a seu mau desígnio e render submissão ao Criador; pois até então tudo fora paz e harmonia. ... Lúcifer recusou ouvi-los. História da Redenção, págs. 13-16.

O Filho de Deus Existente Por Si Mesmo

Disse-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que, antes que Abraão existisse, Eu sou. João 8:58.

"Abraão, vosso pai, exultou por ver o meu dia, e viu-o, e alegrou-se. Disseram-lhe, pois, os judeus: Ainda não tens cinquenta anos e viste Abraão? Disse-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que, antes que Abraão existisse, Eu sou." João 8:56-58.
Aqui Cristo lhes mostra que, embora calculassem que Sua vida tinha menos de 50 anos, Sua vida divina não podia ser calculada pelo cômputo humano. A existência de Cristo antes de Sua encarnação não é medida por algarismos. Signs of the Times, 3 de maio de 1899.
"Antes que Abraão existisse, Eu sou." João 8:58. Cristo é o Filho de Deus preexistente, existente por Si mesmo. A mensagem que Ele deu a Moisés, para ser transmitida aos filhos de Israel, foi: "Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós outros." Êxo. 3:14.
O profeta Miquéias escreveu a Seu respeito: "E tu, Belém Efrata, posto que pequena entre milhares de Judá, de ti me sairá o que será Senhor em Israel, e cujas origens são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade." Miq. 5:2.
Cristo declarou por intermédio de Salomão: "O Senhor Me possuiu no princípio de Seus caminhos e antes de Suas obras mais antigas. Quando punha ao mar o Seu termo, para que as águas não trespassassem o Seu mando; quando compunha os fundamentos da Terra, então, Eu estava com Ele e era Seu aluno; e era cada dia as Suas delícias, folgando perante Ele em todo o tempo." Prov. 8:22, 29 e 30.
Ao falar de Sua preexistência, Cristo faz o pensamento remontar aos séculos eternos. Ele nos assegura que nunca houve um tempo em que não estivesse em íntima ligação com o Deus eterno. Aquele cuja voz os judeus estavam então ouvindo estivera com Deus como Alguém que Se achava em Sua presença.
As palavras de Cristo foram proferidas com calma dignidade e com uma certeza e poder que trouxeram convicção aos corações dos escribas e fariseus. Eles sentiram o poder da mensagem enviada pelo Céu. Deus estava batendo à porta do coração deles, pedindo entrada. Signs of the Times, 29 de agosto de 1900.
Ele era igual a Deus, infinito e onipotente. ... É o Filho eterno, existente por si mesmo. Manuscrito 101, 1897.
Em Cristo há vida original, não emprestada, não derivada. "Quem tem o Filho tem a vida." I João 5:12. A divindade de Cristo é a certeza de vida eterna para o crente. "Quem crê em Mim", disse Jesus, "ainda que esteja morto, viverá; e todo aquele que vive e crê em Mim nunca morrerá. Crês tu isto?" João 11:25 e 26. Cristo olha aqui ao tempo de Sua segunda vinda. O Desejado de Todas as Nações, pág. 530.

A Preexistência do Filho de Deus

E, agora, glorifica-Me, ó Pai, contigo mesmo, com a glória que Eu tive junto de Ti, antes que houvesse mundo. João 17:5.

Mas ao mesmo tempo que a Palavra de Deus fala da humanidade de Cristo quando aqui na Terra, também fala ela positivamente em Sua preexistência. A Palavra existiu como ser divino, a saber, o eterno Filho de Deus, em união e unidade com Seu Pai. Desde a eternidade era Ele o Mediador do concerto, Aquele em quem todas as nações da Terra, tanto judeus como gentios, se O aceitassem, seriam benditos. "O Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus." João 1:1. Antes de serem criados homens ou anjos, a Palavra [ou Verbo] estava com Deus, e era Deus.
O mundo foi feito por Ele, "e, sem Ele, nada do que foi feito se fez". João 1:3. Se Cristo fez todas as coisas, existiu Ele antes de todas as coisas. As palavras faladas com respeito a isso são tão positivas que ninguém precisa deixar-se ficar em dúvida. Cristo era Deus essencialmente, e no mais alto sentido. Estava Ele com Deus desde toda a eternidade, Deus sobre todos, bendito para todo o sempre.
O Senhor Jesus Cristo, o divino Filho de Deus, existiu desde a eternidade, como pessoa distinta, mas um com o Pai. Era Ele a excelente glória do Céu. Era o Comandante dos seres celestes, e a homenagem e adoração dos anjos era por Ele recebida como de direito. Isto não era usurpação em relação a Deus. "O Senhor Me possuiu no princípio de Seus caminhos", declara Ele, "e antes de Suas obras mais antigas. Desde a eternidade, fui ungida; desde o princípio, antes do começo da Terra. Antes de haver abismos, fui gerada; e antes ainda de haver fontes carregadas de águas. Antes que os montes fossem firmados, antes dos outeiros, eu fui gerada. Ainda Ele não tinha feito a Terra, nem os campos, nem sequer o princípio do pó do mundo. Quando Ele preparava os céus, aí estava Eu; quando compassava ao redor a face do abismo." Prov. 8:22-27.
Há luz e glória na verdade de que Cristo era um com o Pai antes de terem sido lançados os fundamentos do mundo. Esta é a luz que brilhava em lugar escuro, fazendo-o resplender com a divina glória original. Esta verdade, infinitamente misteriosa em si, explica outros mistérios e verdades de outro modo inexplicáveis, ao mesmo tempo que se reveste de luz inacessível e incompreensível. ...
"O povo que estava assentado em trevas, viu uma grande luz; e aos que estavam assentados na região e sombra da morte a luz raiou." Mat. 4:16. Aqui se apresentam a preexistência de Cristo e o propósito de Sua manifestação ao mundo, como raios vivos de luz do trono eterno. Mensagens Escolhidas, vol. 1, págs. 247 e 248.
[Cristo] diz: e fulgure a Minha glória - a glória que Eu tive junto de Ti, antes que houvesse mundo. Signs of the Times, 10 de maio de 1899.

17/03/2013

Anjos Acompanhantes

Não são todos eles espíritos ministradores, enviados para serviço a favor dos que hão de herdar a salvação? Heb. 1:14.

Os anjos que estão sempre a contemplar a face do Pai no Céu prefeririam permanecer perto d´Ele, a Seu lado. Mas o Senhor concede a todo anjo sua obra pelo mundo caído. Ajuda divina é provida aos homens. Eles têm a oportunidade de cooperar com os seres celestiais, de ser coobreiros de Deus. As possibilidades de conseguir habilitação para a presença de Deus, de ser capacitado a ver Sua face, são postas diante deles. Anjos celestiais estão trabalhando para trazer a família humana a íntima fraternidade, à unidade descrita por Cristo como a que existe entre o Pai e o Filho. Como podem homens tão altamente honrados por Deus deixar de apreciar suas oportunidades e privilégios? Como podem recusar aceitar a divina ajuda oferecida? Quanto é possível que os seres humanos ganhem se tiverem a eternidade em vista!
Agências satânicas estão sempre guerreando pelo domínio da mente dos homens. Mas os Anjos de Deus estão constantemente em ação, fortalecendo as mãos fracas e confirmando os joelhos trementes de todos quantos apelam a Deus por ajuda. A promessa a todo filho de Deus é: "Pedi, e dar-se-vos-á; buscai e achareis; batei, e abrir-se-vos-á." Mat. 7:7. O Senhor está mais disposto a conceder o Espírito Santo àqueles que O pedem do que os pais a darem bons presentes aos filhos. Portanto, pedi; crede no que Deus disse. Ele certamente cumprirá Sua Palavra. Dizei de coração: "Ainda que a minha carne e o meu coração desfalecem, Deus é a fortaleza do meu coração e a minha herança para sempre." Sal. 73:26. A vitória deve ser conquistada dia a dia. Como seguidores de Cristo devemos pôr-nos de pé em posição estratégica à vista do mundo como representantes de Cristo. Empenhemo-nos nessa parte da milícia cristã, vencendo determinadamente cada fraqueza de caráter. ...
O Senhor tem tido homens e mulheres de coração íntegro, aqueles que fizeram um concerto com Deus mediante sacrifício. Eles não se desviaram de sua integridade; mantiveram-se incontaminados do mundo. Esses têm sido levados pela Luz da vida a derrotar os propósitos do astuto inimigo. Irão os seres humanos agora cumprir sua parte em resistir ao maligno? Se o fizerem, ele certamente deles fugirá. Anjos que farão por vós as coisas que não podeis fazer por vós mesmos estão aguardando por vossa cooperação. ...
Enquanto tiverdes um desejo de resistir ao maligno e sinceramente orardes: "Livra-me da tentação", tereis força para vosso dia. É obra dos anjos celestiais achegarem-se ao tentado, ao sofredor, ao que está sob prova. Manuscrito 14, 1899.

Firmes na Fé

Estais firmes em um só espírito, como uma só alma, lutando juntos pela fé evangélica. Filip. 1:27.

Eu oro para que o povo de Deus não ponha de lado as peculiaridades de sua fé. Cristo é glorificado por uma vida de fé constante e bem definida. Paulo declara: "Esse viver que, agora, tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e a Si mesmo Se entregou por mim." Gál. 2:20. Cristo deve ser glorificado pela fé viva, operante, de Seu povo. O justo viverá pela fé.
Cristo não deixou Seu povo a tropeçar pelo caminho, em trevas. Ele assinalou o caminho diante deles e declara: "Se alguém quer vir após Mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-Me." Mar. 8:34. É pelo caminho da negação própria, a estrada real erguida pelo Redentor, que o povo de Deus deve viajar.
Meu irmão, inclina-te em submissão perante Aquele que trouxe à luz vida e imortalidade. Que tua vontade e a de Cristo sejam uma. Falai isto, orai sobre isto, vivei isto. A Palavra de Deus para nós é: "Avançai", a esta palavra devemos obedecer conquanto defrontemos obstáculos aparentemente tão insuperáveis como o Mar Vermelho. Confiemos em que o Senhor Deus do Céu abrirá o caminho diante de Seu povo. "Entrega o teu caminho ao Senhor, confia n´Ele, e o mais Ele fará." Sal. 37:5. Esta paciência da alma é o repouso da fé. O Senhor abençoará Seu povo tentado e fiel. Ele não permitirá que fiquem confusos.
No último grande dia, toda palavra, todo ato será submetido ao teste crucial do Juiz de toda a Terra. ... O Senhor apela por sincero arrependimento daqueles que alegam ser o Seu povo. A igreja de Deus deve ser zelosamente guardada de toda semelhança de desonestidade, toda marca de corrupção. O amor de Cristo é diretamente oposto a toda avareza, todo orgulho, toda pretensão. O Senhor apela por corações humildes e contritos. Ele operará por Seu Santo Espírito sobre todos quantos se submetam, todos quantos O amem e guardem os Seus mandamentos. E estes farão a presença e poder de Deus aparecer tão manifestamente que os inimigos da verdade serão compelidos a dizer que Deus e Seus anjos são realmente os amigos e ajudadores daqueles que O servem.
Cisma e divisão não são frutos da justiça; procedem do maligno. O grande impedimento para nosso avanço neste tempo é o egoísmo que impede os crentes de manterem verdadeira comunhão uns com os outros. A última oração que Cristo ofereceu por Seus discípulos antes de Sua prova foi para que fossem um com Ele. Satanás está determinado a que essa unidade não ocorra, pois é este o mais forte testemunho que pode ser oferecido de que Deus realmente enviou Seu Filho para reconciliar o mundo com o Céu. Carta 41, 1903.

O Padrão de Deus é Perfeito

Até que todos cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, à perfeita varonilidade, à medida da estatura da plenitude de Cristo. Efés. 4:13.

O padrão de caráter que Cristo tornou-nos possível alcançar... é um padrão perfeito. Ao tentarmos medir-nos por ele os sentidos se tornam confusos. É apresentada a pergunta, "Porventura, desvendarás os arcanos de Deus ou penetrarás até à perfeição do Todo-poderoso?" Jó 11:7. Contudo, ele tornou-nos possível nos assemelharmos a Ele em caráter. Oh, o que impressionará homens e mulheres quanto a sua necessidade dessa transformação que os capacitará a refletir a imagem divina!
Muitos que alegam seguir a Cristo apresentam ao mundo uma representação inferior do cristianismo porque não atingem o padrão que os torna eleitos de Deus. Aquele que deixa de manter constantemente diante de si o padrão da santa lei de Deus cria um padrão próprio. Torna-se destituído dos princípios inspiradores de vida do evangelho. É um servo infiel, pois vive e age num rebaixado plano de ação. A presença de Cristo não o sustém e suas representações espirituais estão deformadas. Sua vida é uma farsa. Ele não aspira à vida superior, de Deus, e não está habilitado a se tornar um membro da família real, um filho do celeste Rei. Espiritualmente está morto, pois não assimila em sua própria vida a vida que Cristo proveu. Não se utiliza do poder que o Céu proveu para capacitá-lo a ser um vencedor.
Ninguém pode levar ao Céu seus traços de caráter cultivados e naturais. Aquele que leva consigo tais traços durante seu período de prova tem representado mal a Cristo ao agir segundo princípios que Deus não pode aprovar. Os princípios da verdadeira vida espiritual não são compreendidos por aqueles que conhecem a verdade, mas deixam de praticá-la.
O Senhor apela por reformas, assinaladas, distintas reformas. Aqueles em cujo coração Cristo habita revelarão Sua presença no trato com seus semelhantes. Mas os princípios de alguns têm sido por tanto tempo pervertidos que perderam o discernimento, e a seta raramente alcança seu alvo. Como pode ser isto curado? Somente por atender à oração de Cristo: "Santifica-os na verdade; a Tua palavra é a verdade. Assim como Tu Me enviaste ao mundo, também Eu os enviei ao mundo. E a favor deles Eu Me santifico a Mim mesmo, para que eles também sejam santificados na verdade." João 17:17-19. Não há maneira de contornar a direção que a obra de santificação deve tomar. Manuscrito 16, 1901.